Solenidade reuniu artistas, escritores e intelectuais para a entrega da Condecoração Viventes das Alagoas e os lançamentos dos livros contemplados pelo Edital de Obras Literárias 2018

Texto de Myllena Diniz

A Imprensa Oficial Graciliano Ramos homenageou, nessa quarta-feira (12), nove personalidades que contribuíram com o fortalecimento institucional do Diário e da editora oficiais do Estado de Alagoas nos últimos anos, com a Condecoração Viventes das Alagoas. A solenidade, realizada no Complexo Cultural Teatro Deodoro, também contou com o lançamento de onze títulos selecionados pelo Edital de Obras Literárias 2018.

Considerado uma celebração à memória e à literatura alagoana, o evento reuniu artistas, escritores e intelectuais dos diversos segmentos. De acordo com o diretor-presidente da Imprensa Oficial, Dagoberto Omena, a solenidade serviu também como uma prestação de contas para a sociedade.

“Neste momento, não só damos um retorno do que temos produzido em termos de excelência editorial, com a publicação de onze títulos inéditos, todos de escritores alagoanos ou radicados em Alagoas, como homenageamos as personalidades que mais têm contribuído com esse processo de evolução contínua das ações de incentivo à produção literária em nosso Estado”, enfatizou Dagoberto Omena.

Na ocasião, o diretor-presidente da Imprensa Oficial ainda anunciou os avanços alcançados pela empresa. Entre os principais destaques, está o investimento de R$ 2,5 milhões em novo maquinário e a Certificação ISO 9001:2015 conquistada pelo Diário Oficial de Alagoas – o segundo do Nordeste a possuir o selo de qualidade.

“Encerramos o ano de 2018 sendo o segundo Diário do Nordeste a conquistar a ISO 9001:2015, ao lado apenas da Bahia, e o quarto do Brasil. Seguimos os passos do Governo de Alagoas, intensificamos esforços na gestão de qualidade e obtivemos a certificação máxima de excelência em serviços prestados. Portanto, hoje, nosso cliente passa a ter total garantia de qualidade e confiança. Somado a isso, conseguimos o aporte de R$ 2,5 milhões para investirmos na reforma do nosso parque gráfico e na modernização das máquinas, o que traz aumento de produtividade, aperfeiçoamento de serviços e ampliação do alcance entre os alagoanos”, ressaltou Dagoberto Omena.

Para o vice-governador de Alagoas, Luciano Barbosa, a Imprensa Oficial Gracilianos Ramos tornou-se exemplo de qualidade dentro da administração pública. “A obtenção do selo por parte do Diário Oficial, que é um dos principais documentos de resgate da própria história de Alagoas, reforça o trabalho desenvolvido na empresa, que também é referência no mercado editorial. A Revista Graciliano, por exemplo, é um marco. Poucas revistas, no Brasil, têm a qualidade dela”, avaliou.

Viventes das Alagoas

Para homenagear as personalidades que mais contribuíram com o fortalecimento institucional da Imprensa Oficial Graciliano Ramos, foram entregues as condecorações Viventes das Alagoas – referência a uma das obras do escritor alagoano que dá nome à empresa.

Entre os condecorados, estiveram o historiador e etnólogo Dirceu Lindoso, autor de “Póvoa Mundo”, vencedor do prêmio José Lins do Rego, em 1980, e de “Os Filhos de Ana do Rosário”, publicado pela Imprensa Oficial, em 2016; o professor e historiador Douglas Apratto, pelos incentivos à popularização dos livros de História no Brasil; o secretário de Estado da Comunicação, Ênio Lins, responsável pelas demandas de obras históricas para Alagoas, como o livro “Navegar é Preciso”, lançado neste ano.

Também receberam a homenagem o ex-secretário de Estado do Gabinete Civil, Fábio Farias, pelo apoio institucional em prol de demandas editoriais direcionadas à temática Alagoas e de recursos para ações de incentivo à produção literária; o diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas, Fábio Guedes, pelas cooperações destinadas ao financiamento de publicações acadêmicas, pela idealização da Coleção do Bicentenário alagoano e por estreitar os laços da Imprensa Oficial com o segmento científico.

Ainda foram homenageados o funcionário mais antigo da empresa, Isaac Lopes, encadernador do Diário Oficial há 34 anos; a primeira-dama do Estado, Renata Calheiros, pelo engajamento com as publicações sobre artesanato alagoano e literatura infantil; o professor e primeiro coordenador editorial da Graciliano Ramos, Sávio de Almeida, pelas contribuições prestadas à empresa e pelas relevantes publicações na área de História Regional; e a atual reitora da Universidade Federal de Alagoas, Valéria Correia, pela realização da Bienal Internacional do Livro de Alagoas e do 70º Encontro Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.

Para a primeira-dama, Renata Calheiros, a premiação é um estímulo para quem já desenvolve ações voltadas para a valorização da cultura alagoana. “Estou sem palavras para agradecer pela homenagem. Ser agraciada, ao lado de grandes personalidades alagoanas, me motiva a continuar engajada em tudo que engrandece o nosso povo”, destacou.

Lançamento de livros

O evento encerrou com uma verdadeira celebração à literatura alagoana, por meio do lançamento dos onze títulos inéditos, selecionados pelo Edital de Obras Literárias 2018.

Do conjunto de onze autores selecionados neste ano, sete realizam o sonho de publicar os primeiros livros de suas carreiras: Ana Iris Santos, Cid Brasil, Fátima Costa, Felipe Benício, João Gomes, Karen Pimentel e Natasha Tinet. Entre os experientes estão alguns autores que já fazem parte do elenco da editora –Amanda Prado, Sara Albuquerque, Sidney Wanderley e Wado.

“Criamos oportunidades para os autores de Alagoas, que, muitas vezes, não têm subsídio para publicar suas obras. Portanto, intensificamos as ações de incentivo à produção literária e tivemos um excelente resultado: quatro livros de prosa e sete de poesia, da melhor qualidade, sem custo algum para os escritores”, destacou Dagoberto Omena.

Estreante, Ana Iris Santos, autora de Cavia Porcellus, salientou o legado do Edital de Obras Literárias. “Nos sentimos honrados com a valorização que a Imprensa Oficial tem dado aos escritores locais, democratizando o acesso ao meio editorial”, avaliou.

Durante o evento, o público ainda foi agraciado com interpretação do ator alagoano Chico de Assis, no papel de Graciliano Ramos, e com espetáculo da banda Divina Supernova.

Relação de obras e autores

1.   Amanda Prado – Pedra perdendo seiva

2.   Ana Iris Santos – Cavia Porcellus

3.   Cid Brasil – A importância de se chamar Kurt Russell

4.   Fátima Costa – Valsa Triste

5.   Felipe Benício – Do Caos &

6.   João Gomes – A Fábrica de Bonecos de Olinda e Outras Histórias

7.   Karen Pimentel – Solidões

8.   Natasha Tinet – Veludo Violento

9.   Sara Albuquerque – Giz Morrendo

10. Sidney Wanderley – Notas sobre Leituras

11. Wado – Caderno de Anotações