Solenidade homenageou religiosos e parceiros da Igreja Católica em Alagoas

Myllena Diniz

A Arquidiocese de Maceió realizou, nesta quarta-feira (20), algumas das celebrações do Centenário da instituição, no Teatro Deodoro. A solenidade foi marcada pelo lançamento do selo comemorativo, em parceria com os Correios, e pela entrega de premiações a religiosos e parceiros da Igreja Católica na capital alagoana. Entre os agraciados, esteve a Imprensa Oficial Graciliano Ramos, responsável pela publicação do Guia da Cúria Metropolitana.

À frente da Arquidiocese há doze anos, o Arcebispo Dom Antônio Muniz destacou a representatividade da igreja na construção da história alagoana e a importância de homenagear quem esteve ao lado da instituição ao longo dos anos.

“Nosso centenário ocorre, de fato, em 2020, mas já iniciamos as comemorações e os preparativos para a grande festa que está por vir. Essa data é um marco para a comunidade católica e será celebrada em diferentes momentos. No dia de hoje, o objetivo é dizer ‘muito obrigado’ a todos que fazem parte dessa história, sejam leigos ou religiosos”, ressaltou o líder da igreja em Maceió.

Entre os contemplados, esteve outra instituição centenária: a Imprensa Oficial Graciliano Ramos, que recebeu o Prêmio Igreja Comunicadora Padre Eduardo Tadeu. A empresa publicou, em 2019, o Guia Geral do Arquivo da Cúria Metropolitana de Maceió, organizado pela historiadora Irinéia Maria Franco.

A obra publicada pela editora oficial do Estado de Alagoas cataloga documentações referentes à Arquidiocese da capital, a partir de um arquivo organizado em 1940. Atualmente, o material serve como ferramenta de preservação e pesquisa de dados históricos da igreja – que datam do século 18 ao 21.

Para o diretor-presidente da Imprensa Oficial, Dagoberto Omena, a premiação é um reconhecimento dos esforços do Governo de Alagoas para democratizar o acesso à informação, nos mais diferentes níveis. “Ficamos muito honrados com essa homenagem, que se deve, em grande parte, à publicação do Guia da Cúria, que tem o intuito de tornar acessível todo o arquivo da igreja para a sociedade alagoana. É um material importante para quem busca entender o passado de Alagoas e do Brasil, assim como o papel do catolicismo na nossa identidade cultural”, avaliou.

Além da categoria Comunicadora, a premiação ainda englobou mais quatro segmentos: Igreja Orante, Missionária, Samaritana e Educadora.